Acne hormonal: qual a relação entre as hormonas e a acne?

A acne é uma doença inflamatória multifatorial que, na generalidade dos casos, surge durante durante a puberdade. Esta “manifesta-se” através de lesões na pele que aparecem na zona do rosto, pescoço, peito e costas, podendo ser no formato de pústulas, pápulas e comedões.

Esta doença de pele que afeta tanto o sexo masculino como o feminino, pese embora durante a adolescência tenda a afetar mais os homens. Isto acontece porque o homem produz mais testosterona, a fim de desenvolver as características sexuais masculinas, estando esta intimamente ligada ao desenvolvimento da acne.

Neste artigo procuramos elucidar algumas questões relacionados com a acne hormonal, designadamente quais as hormonas intrinsecamente ligadas à incidência da acne, bem como possíveis tratamentos para a mesma.

Termos importantes para a compreensão do texto

Para que melhor entenda o presente artigo é importante termos algumas noções presentes:

  • Hormonas: são substâncias secretadas (expelidas, entenda-se) pelos órgãos e glândulas que regulam o funcionamento do corpo humano. Entre as suas funções temos o controlo do metabolismo, a indução ao sono, a sensação de saciedade, a produção de energia, o crescimento, a nossa disposição, o stress, entre outras. Quando em níveis inadequados, as hormonas podem ter um efeito de “desordem” no organismo, as chamadas doenças hormonais.
  • Hiperandrogenismo: produção excessiva de testosterona por desordens nos órgãos sexuais ou por outros fatores, como o consumo de anabolizantes (fisiculturistas ou pessoas que desejam ganhar massa muscular).
  • Síndrome dos ovários policísticos: doença que acomete as mulheres, onde os ovários ficam cheios de nódulos/caroços e produzem testosterona acima dos níveis normal. Entre as possíveis consequências, referir o aparecimento da acne hormonal, a infertilidade, o aumento do peso e o aumento da quantidade de pelos no corpo.
  • Colagénio: proteína que promove a flexibilidade dos tecidos no corpo humano, normalmente presente na pele, cabelos e cartilagens.

Como as hormonas afetam a pele?

As glândulas sebáceas são responsáveis pela produção de sebo pelo organismo

Muitas das mudanças na pele relacionadas com a acne devem-se a pequenas glândulas, chamadas de glândulas sebáceas. Estas são responsáveis pela produção de sebo pela pele, e assim como várias outras glândulas presentes no corpo (glândulas adrenais, tiroide e a hipófise) são influenciadas por hormonas.

Testosterona

E são precisamente as hormonas, em particular a hormona testosterona, que podem causar a acne, em especial a acne hormonal. Esta hormona sexual masculina tem a capacidade de aumentar o tamanho das glândulas sebáceas e estimular o aumento da produção de sebo, causando assim a acne.

Regra geral, os níveis de testosterona no organismo humano são estáveis, todavia durante a puberdade e até o início da vida adulta a sua presença no corpo aumenta consideravelmente pelos motivos já previamente referidos. Se porventura os níveis de testosterona aumentarem antes da puberdade ou após os vinte e cinco anos de idade então poderemos estar perante uma doença designada por hiperandrogenismo1.

Esta doença causa puberdade precoce nas crianças ou síndrome do ovário policístico nas mulheres e está relacionada com o uso de esteroides/anabolizantes por praticantes de atividades físicas. As consequências mais comuns do hiperandrogenismo são mudanças na voz, o aumento dos pelos pelo corpo e, não menos importante, acne hormonal2

Estrogénio

Outra hormona que está relacionado com o desenvolvimento da acne hormonal é o estrogénio, esta é a hormona responsável pela ovulação e pelo período pré-menstrual nas mulheres. Quando é libertada em maiores quantidades no organismo, além de dar início ao período pré-menstrual, também estimula a produção de colagénio. Todavia, quando produzido em quantidades superiores ao necessário, o pode se acumular nos poros da pele, obstruindo-os e causando a acne hormonal.

É por esse motivo que é relativamente comum que durante o período pré-menstrual as mulheres desenvolvam acne e que durante a menopausa o aspeto da pele possa piorar, dado que, neste período da vida, os níveis de estrogéniodiminuem, reduzindo a produção de colágeno pela pele3.

Insulina

Por fim, abordar a insulina. Esta hormonaé normalmente expelida pelo pâncreas em resultado do consumo de hidratos de carbono. Quando secretada a insulina conecta-se aos hidratos de carbono e transporta-os para dentro das células para que sirvam como base para a produção de energia para todas as funções do corpo humano.

Entretanto, quando há excesso de insulina disponível no organismo, por exemplo em virtude do consumo de hidratos de carbono em excesso ou porque a pessoa apresenta resistência à insulina – uma doença ligada à diabete – poderá ocorrer um processo inflamatório no organismo que estimula as glândulas sebáceas a produzirem mais sebo, surgindo assim aquilo que designamos por acne hormonal4.

Tratamento da acne hormonal

O tratamento para a acne hormonal poderá passar pela utilização de antibióticos

Dizem as boas práticas que qualquer tratamento deve ser antecedido da descoberta da sua causa, com a acne hormonal deverá precisamente ocorrer o mesmo. Neste âmbito é particularmente importante que consulte um profissional especializado, designadamente um médico dermatologista. Tratar os sintomas da acne (lesões na pele) e não as suas causas de pouco servirá.

O tratamento poderá passar pela utilização de antibióticos como a clindamicina, tetraciclina ou ácidos como o retinóico e o salicílico, bem como por tratamentos estéticos como o peeling e a luz pulsada. Todos esses tratamentos iram tratar o processo inflamatório da acne, as suas cicatrizes e a hiperpigmentação5.

Caso esses tratamentos sejam aplicados corretamente (sempre com acompanhamento médico) a acne hormonal provavelmente terminará e a pessoa ver-se-á livre dela, não obstante é expetável que o tratamento possa ser prolongado e os seus efeitos não sejam imediatos.

No que concerne à progesterona, importa referir que esta hormona sexual feminina, costuma melhorar os casos de acne, dado ter a capacidade de reduzir a produção de sebo pelo organismo, ao diminuir o tamanho das glândulas sebáceas. Não obstante, não há propriamente um consenso em torno sobre o uso da progesterona para o tratamento da acne hormonal6,7.

Conclusão

Entende-se que a acne hormonal pode ser causada por diversos desequilíbrios hormonais que podem ocorrer no organismo humano. Estes desequilíbrios estão ligados a hormonas sexuais, no caso a testosterona e o estrogénio, ou a desequilíbrios relacionados ao metabolismo dos hidratos de carbono pela insulina.

Por fim, tendo tudo o que foi dito em consideração, chamamos a sua atenção (mais uma vez) para a importância de procurar aconselhamento junto de um profissional de saúde caso a acne surja em momentos pouco comuns da vida, como a infância ou a vida adulta. A acne hormonal, pode ser o sintoma de um problema hormonal maior como o hiperandrogenismo ou a síndrome dos ovários policísticos.

Bibliografia

  1. BETTI, R.; BENCINI, P.L.; LODI, A.; URBANI, C.E.; CHIARELLI, G.; CROSTI, C. Incidence of Polycystic Ovaries in Patients with Late-Onset or Persistent Acne: Hormonal Reports. Dermatologica. Italia, 1990.
  2. THIBOUTOT, Diane. Acne: Hormonal concepts and therapy. Clinics in Dermatology. Outubro, 2004.
  3. LUCKY, Anne W. Hormonal correlates of acne and hirsutism. The American Journal of Medicine. Janeiro, 1995.
  4. GEORGE, Rosalyn et al. Hormonal Therapy for Acne. Seminars in cutaneous medicine and surgery. Setembro, 2008.
  5. BRENNER, Fabiane Mulinari et al. Acne: um tratamento para cada paciente. Revista de Ciências Médicas. Campinas. Junho, 2006
  6. SHAW, James C. Acne: effect of hormones on pathogenesis and management. American Journal of clinical Dermatology. USA, 2002.
  7. KATSAMBAS, Andreas D. et al. Hormonal therapy for acne: why not as first line therapy? facts and controversies. Clinics in Dermatology. Greece, 2010.