Conheça os tipos de cicatrizes causadas pela acne

A acne é uma doença de pele amplamente difundida na sociedade, já que praticamente qualquer pessoa poderá dela padecer em algum momento da vida. Não obstante se trate de uma doença muito comum, a acne poderá ter algumas consequências, sejam elas do foro psicológico, como a depressão, a ansiedade e até fobia social, ou foro físico, como são exemplo as cicatrizes.

De facto, quando se fala das consequências da acne, as mais comuns não são os problemas emocionais que poderão advir da doença, mas as cicatrizes que ficam como resquícios das lesões causadas, muitas vezes para o resto da vida. Estas são particularmente importantes porque poderão ser tão lesivas quanto a própria acne, uma vez que afetam diretamente a autoestima. Além do mais, nãos só o tratamento para as cicatrizes é prolongado e dispendioso, como também nem sempre é eficaz na eliminação das cicatrizes.

Neste artigo abordamos as causas, os tipos, a prevenção e o tratamento para as cicatrizes resultantes da acne.

Quais as causas das cicatrizes da acne?

A causa das cicatrizes da acne são as próprias lesões da doença

Uma cicatriz é definida como um tecido fibroso que substitui a pele normal, após uma lesão que afeta as camadas mais profundas da pele1.

Desta forma a causa das cicatrizes da acne são as próprias lesões da doença, que irão variar conforme a gravidade da mesma. A acne considerada menos grave (graus I e II) tende a desaparecer sem deixar resquícios, só havendo formação de cicatrizes se o doente manipular o local onde estão os comedões e/ou pústulas.

Já na acne de graus III, IV e V as cicatrizes são inevitáveis, isto porque as lesões destes tipos de acne são habitualmente profundas. O corpo pode-se comportar de duas formas ao recuperar a pele dessas lesões, a mais comum é a perda de tecido, formando uma depressão na pele, a outra é através do aumento da produção de tecido no local, formando uma elevação na pele (esta forma de cicatrização é mais rara por depender de uma pré-disposição genética). Pode-se concluir que quanto mais profunda e inflamada a lesão da acne é, maior a chance de se formar uma cicatriz2.

Por fim, referir que existem outras causas (menos comuns) para a formação de cicatrizes da acne, nomeadamente o cumprimento deficiente do tratamento indicado pelo médico dermatologista e o excesso de exposição solar, potenciado pelo ausência de aplicação protetor solar (principalmente se a pele estiver lesionada).

Quais os tipos de cicatrizes da acne?

Queloides, cicatrizes hipertróficas

A acne deixa diferentes tipos de cicatrizes, variando conforme o seu grau de severidade. Estas normalmente são classificadas como atróficas (atinge 90% das pessoas com cicatrizes de acne) e hipertróficas, havendo subclassificações dentro dessas duas categorias3:

Cicatrizes atróficas

Designam-se por cicatrizes atróficas as lesões que quando tratadas deixam buracos / depressões na pele. As suas subclassificações são de acordo com a largura, profundidade e forma da cicatriz:

  • Cicatrizes em “furador de gelo”: são cicatrizes estreitas com menos de 2 milímetros de diâmetro, porém profundas e bem delimitadas na pele.
  • Cicatrizes em “vagão”: são depressões ovais, maiores que as em “furador de gelo” e dispersa, normalmente distribuídas pela superfície previamente lesionada.
  • Cicatrizes “onduladas”: são lesões de 4 a 5 milímetros de diâmetro, que ficam próximas umas das outras e, que por serem profundas, formam ondas na pele.

Cicatrizes hipertróficas

Designam-se por cicatrizes hipertróficas as que se formam quando o tecido fibroso se acumula. Normalmente são duras, inchadas e elevadas em relação à superfície normal da pele. Subclassificações:

  • Queloides: cicatrizes que se caracterizam pela acumulação anormal de tecido fibroso na lesão, podendo chegar a mais de 5 centímetros de diâmetro e 3 centímetros de altura. Acontecem por um problema genético que estimula a hiperprodução de tecido.
  • Cicatriz fistular: cicatrizes que se elevam sob a pele, de forma linear, em parte por que as cicatrizes de várias lesões se conectam umas às outras1,3.

Como prevenir as cicatrizes da acne?

É importante controlar a produção de sebo pela pele

Na verdade, a melhor forma de evitar as cicatrizes da acne (nos graus menos graves), é ainda o tratamento da própria doença de forma a que esta não se agrave e chegue ao grau III. Por isso é importante controlar a produção de sebo e manter a pele limpa, para que não ocorra inflamação através de uma infecção bacteriana.

Outras formas de prevenir as cicatrizes da acne estão ligadas a hábitos diários que, não obstante simples, podem ser muito eficientes contra a formação das lesões da acne, que darão origem as cicatrizes, nomeadamente a:

  • Remoção de maquilhagem sempre que fizer o uso da mesma;
  • Lavagem do rosto com o sabonete neutro;
  • Utilização de protetor solar, reaplicando o produto a cada duas horas – sobretudo em períodos de maior exposição solar;
  • Utilização de produtos e cosméticos recomendandos / indicados por médicos dermatologistas.

Tratamento para as cicatrizes da acne

Os tratamentos para as cicatrizes da acne levam em consideração a gravidade das lesões

Os tratamentos utilizados nas cicatrizes da acne levam em consideração a gravidade das lesões, as expectativas do paciente e os efeitos colaterais, psicológicos e emocionais da medicação e dos procedimentos.

É importante levar-se em consideração que mesmo o melhor tratamento cosmético contra as cicatrizes da acne, não será capaz de as eliminar por completo, principalmente às cicatrizes de casos graves da doença. Por isso o objetivo final de qualquer intervenção sobre as cicatrizes da acne deve ser melhorar o aspecto da pele previamente lesionada4.

Atualmente existem muitas opções de tratamento disponíveis, sendo as mais comuns os peelings químicos (ácido retinóico), a microdermoabrasão, o microagulhamento, os lasers, a luz pulsada, os preenchedores dérmicos (ácido hialurônico e a toxina botulínica) e as cirurgias estéticas.  

Dependendo do tipo e da extensão da cicatriz, poderão ser vários desses métodos para uma maior eficácia e eficiência do tratamento. Porém, deve-se ter em consideração que as cicatrizes da acne no peito, costas e ombros tendem a ser muito mais resistentes ao tratamento do que as cicatrizes na face5.

Conclusão

Resumindo, nos casos mais leves da doença, as cicatrizes da acne só se formam caso se manipule as lesões, já nos casos mais graves, as cicatrizes são quase inevitáveis. O acompanhamento da evolução da acne, por um médico dermatologista, por exemplo, é determinante para se evitar o aparecimento de cicatrizes ou o seu agravamento.

Por fim, é importante perceber que as cicatrizes da acne podem ser para a vida toda e que nenhum tratamento se tem revelado 100% eficaz contra aquelas. Caso estas estejam a afetar a sua autoestima não deixe de procurar um psicólogo.

Bibliografia

  1. TOSTI, Antonella. Cicatrizes de Acne: Classificação e tratamento. Thieme Revinter Publicações – 2ª edição. Rio de Janeiro, 2020.
  2. PEREIRA, Beatriz Bueno et al. Tratamento das cicatrizes atróficas de acne por meio do microagulhamento com equipamento Dermapen em mulheres entre 20 a 30 anos. Revista cientifica do Unisalesiano. São Paulo. Dezembro, 2016.
  3. ALLGAYER, Natacha. Cicatrizes de acne vulgaris – revisão de tratamentos. Revista SPDV. São Paulo, 2014.
  4. RIVERA, A. E.  Acne scarring:  A review and current treatment modalities. Journal of the American Academy of Dermatology. Outubro, 2008.
  5. TAUB, A. F.; GARRETSON, C. B. Treatment of acne scars of skin types II to V by sublative fractional bipolar radiofrequency and bipolar radiofrequency combined with diode laser. The Journal of clinical and aesthetic dermatlogy. Outubro, 2011.