O que se sabe sobre a isotretinoína no tratamento da acne?

Segundo a literatura médica a acne é uma doença inflamatória das glândulas sebáceas, presentes mais abundantemente na face, nas costas e no tórax, sua causa é multifatorial, ou seja, há diversos motivos para o seu aparecimento.

Normalmente se desenvolve na puberdade quando acontece o aumento da liberação hormonal, em especial da testosterona, que promove o aumento da secreção de sebo e de queratina pela pele. Essas duas secreções juntas obstruem os poros e servem de alimento para Propionibacterium acnes, que causa uma inflamação no local e causa as lesões da acne1.

Entretanto a acne tem diversos graus de intensidade, que começam com formas mais leves onde existem comedões e pústulas a formas mais graves (capazes de deformar os locais das lesões) onde existem nódulos e fístula causados por um processo inflamatório do organismo.

Nas formas mais graves são utilizadas diversas medicações, entre elas antibióticos, corticoides e a mais amplamente difundida, por sua eficiência, a isotretinoína ou Roacutan®. Entretanto essa droga tem diversas contraindicações e efeitos colaterais, que vão de ressecamento da pele a hepatite2.

Por isso esse artigo fará uma revisão do que a literatura cientifica tem apresentado sobre os efeitos da isotretinoína contra a acne, as consequências no organismo e seus efeitos colaterais.

Como atua a isotretinoína no tratamento da acne?

A Isotretinoína cujo nome mais comum no comércio é Roacutan®, é um medicamento retinóide derivado da vitamina A, que foi desenvolvido em 1982. 

Atualmente os estudos apontam para o fato de que ela é o tratamento mais eficaz contra a acne e suas, eliminando comedões, pápulas, pústulas, cistos, nódulos e fístulas. Entretanto importa saber que ela é indicada apenas a partir da acne grau 3, porém em casos raros é utilizada nos graus 1 e 2, quando o paciente é resistente a outros medicamentos – como ácidos e retinóides3

Os estudos feitos com a substância em laboratório apontam para o fato de que ela age diretamente nos quatro principais fatores causadores da acne. Primeiramente ela promove o ressecamento das glândulas sebáceas e com isso diminui significativamente a produção de sebo.  Secundariamente ela age diminuindo a flora microbiana da pele, em especial impedindo a proliferação da Propionibacterium acnes. Por fim ela ainda tem ação anti-inflamatória e é capaz de reduzir a produção de queratina4.

Por isso a isotretinoína o medicamento mais eficiente na farmacologia para o tratamento da acne, já que ela atua sobre a forma com que a acne se desenvolve na maioria das pessoas, que é através da produção de sebo, queratina, infecção bacteriana e do processo inflamatório5.

Quais os efeitos secundários da isotretinoína?

Apesar da eficácia da Isotretinoína contra a acne os estudos mostram que ela causa diversos efeitos colaterais, que devem ser levados em consideração na decisão pelo uso da substância no tratamento contra a doença.

Entre os efeitos colaterais do Roacutan®, temos alterações no sistema nervoso central que causam cansaço, dores de cabeça, hipertensão intracraniana, visão alterada e depressão, ressecamento da pele e das mucosas e problemas no fígado – uma vez que a substância é processada nesse órgão.

Ela aumenta os níveis de triglicerídeos, do colesterol ruim e das enzimas hepáticas no sangue – causando intoxicação hepática em aproximadamente 15% dos pacientes – em função dessas alterações. Por consequência disso os pacientes em uso desse medicamento não podem beber e devem manter uma dieta balanceada durante o tratamento6.

Outros efeitos colaterais menos comuns são problemas no sistema gastrointestinal (como enjoos, vômitos, dores abdominais, sangramento e inflamação gengival), no sistema urinário (com a presença de proteínas  e sangue na urina), no sistema musculoesquelético (com dor e inflamação nas articulações) e no sistema sanguíneo (com a diminuição de leucócitos e plaquetas, e o desenvolvimento de anemia)7.

Por fim ainda temos o fato de que os estudos científicos comprovam que a Isotretinoína é teratogênica, isso significa que ela consegue atravessar a placenta durante a gravidez e causar aborto ou má formação fetal – em especial do cérebro, pernas, braços e da coluna, sendo irreversível. Por isso mulheres em uso desse fármaco devem utilizar contraceptivos orais e não podem engravidar durante o tratamento e de preferência por seis após o fim do tratamento8.

Quais as contraindicações da isotretinoína?

A isotretinoína ou Roacutan® é contraindicada para pessoas possuem altos níveis de vitamina A no sangue, já que ela é um retinol derivado da vitamina A. Pois nesse caso o uso da substância pode causar febre, aumento de peso e problemas pulmonares9.

Ainda é contraindicada para mulheres gravidas ou lactantes, pessoas hipersensíveis a substância, menores de 15 anos de idade (pois eles não têm o sistema sexual completamente desenvolvido) e para pessoas que fazem uso de alguns medicamentos como estrogênio, corticoides e tetraciclina (pois acontece um interação medicamentosa que afeta a ação desses medicamentos).

Por fim ela é contraindicada para pessoas com colesterol e triglicerídeos altos, problemas hepáticos e renais, diabéticos dependentes de insulina e pessoas deprimidas ou psicóticas10

Conclusão

Dessa forma apesar da eficiência da Isotretinoína contra acne, onde a mesma é capaz de controlar praticamente 100% dos casos, ela tem muitos efeitos colaterais e só deve ser utilizada com um acampamento médico mensal. Uma vez que é necessário controlar esses efeitos colaterais e fazer o ajuste da dose sempre que algum deles aconteça, e caso aconteça uma gravidez seu uso deve ser finalizado.

O intuito desse artigo foi apenas informativo, e não faça uso dessa medicação sem acompanhamento médico já que as consequências podem ser graves.

Bibliografia

  1. DINIZ, D.G.A.; LIMA, E.M.; FILHO, N.R.A. Isotretinoína: perfis farmacológico, farmacocinético e analítico. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. Dezembro, 2002.
  2. ORGANIZAÇÂO MUNDIAL DA SAÚDE – OMS. Acne vulgar. Modelo OMS de información sobre prescripción de medicamentos. Medicamentos utilizados en las enfermedades cutaneas. Genebra, 1999.
  3. BORGES M.B.; RIBEIRO R.K.B.; COSTA F.P.P.; CAVALCANTI, J.C. Avaliação laboratorial do perfil lipídico e testes de lesão hepatocelular em pacientes com acne vulgar sob uso de isotretinoína oral. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica. São Paulo. Dezembro, 2011.
  4. MINELLA, A. X.; MARTINS, C. A. F. Os Efeitos da Isotretinoína no Tratamento da Acne. Biociência, Biotecnologia e Saúde. Curitiba. Dezembro, 2016.
  5. JÚNIOR, Edilson Dantas da Silva et al. Isotretinoína no tratamento da acne: riscos x benefícios. Revista Brasileira de farmacologia – Dermatologia Estética. Paraíba, 2009.
  6. BRITO, M. F. M; SANT’ANNA, I. P.; GALINDO, J. C. S.; ROSENDO, L. H. P. M.; SANTOS, J. B. Avaliação dos efeitos adversos clínicos e alterações laboratoriais em pacientes com acne vulgar tratados com isotretinoína oral. Anais Brasileiros de Dermatologia. Rio de Janeiro. Junho, 2010.
  7. BRENNER, F. M.; ROSAS, F. M. B.; GADENS, G. A.; SULZBACH, M. L.; CARVALHO, V. G.; TAMASHIRO, V. Acne: Um Tratamento para Cada Paciente. Revista de Ciências Médicas. Campinas. Junho, 2006.
  8. SAMPAIO, S. A. P.; BAGATIN, E. Experiência de 65 anos no tratamento da acne e de 26 anos com isotretinoína oral. Anais Brasileiros de Dermatologia. Rio de Janeiro. Agosto, 2008.
  9. DINIZ, Danielle Guimarães Almeida; LIMA, Eliana Martins; FILHO, Nelson Roberto Antoniosi. Isotretinoína: perfis farmacológico, farmacocinético e analítico. Revista Brasileira de Ciências Farmacêuticas. Dezembro, 2002.
  10. SCHIMIDT, Gabriela Mantelli; SILVA, Cristiane de Bona da. Isotretinoína: utilização no tratamento sistêmicos da acne e aspectos fundamentais para a atenção farmacêutica. Informa. São Paulo, 2009.