Quais as principais diferenças entre a acne e a rosácea?

As doenças de pele podem impactar negativamente a vida e a saúde de quem com elas “convive”, dado que, não raras vezes, são fontes de dor, de lesões na pele e até de consequências psicológicas, como o isolamento social.

A acne é, entre todas as doenças inflamatórias da pele (dermatite), aquela que é mais comummente conhecida e divulgada, em virtude de afetar cerca de 85% da população, em algum momento da vida.

A segunda doença de pele mais comum é a rosácea. Embora diferentes, a rosácea é muitas vezes confundida com acne, em grande medida pelas semelhantes das lesões que ambas provocam na pele, sendo muitas vezes chamada – erroneamente – de acne rosácea.

O intuito do presente artigo é esclarecer o funcionamento de ambas as doenças de pele, procurando diferenciá-las.

O que é acne?

As lesões na pele típicas da acne são comedões, pústulas e nódulos

A acne é uma inflamação das glândulas sebáceas (glândulas responsáveis pela produção de sebo pela pele). Alguns estudos apontam para que a incidência da acne esteja particularmente relacionada com o aumento das hormonas sexuais (sobretudo nos adolescentes e jovens adultos – abaixo dos 25 anos de idade)1.

No entanto, existem outras causas que podem estar ligadas ao desenvolvimento da acne como os maus hábitos alimentares, a infecção bacteriana (Propionibacterium acnes), o aumento da produção de queratina e processos inflamatórios resultantes de problemas no organismo2.

As lesões na pele típicas da acne são comedões (pontos negros), pústulas (pontos brancos) e nódulos, que podem atingir camadas profundas da pele, deixando cicatrizes e hiperpigmentação. É ainda comum que quem padeça de acne possa sentir alguma dor na região da lesão, bem como a necessidade de coçar ou mexer no local para aliviar o incomodo3.

Embora a acne seja tratável, o seu tratamento pode ser prolongado. No entanto, na generalidade dos casos de acne na adolescência a doença tende a desaparecer com o início da vida adulta, período em que os “níveis hormonais” voltam ao normal.

O que é rosácea?

A rosácea é caracterizada pelo rompimento de microvasos sanguíneos

A rosácea é uma doença inflamatória e crônica que se aloja nos microvasos sanguíneos do organismo. Ocorre em aproximadamente 10% da população mundial, principalmente em adultos entre os 30 e os 50 anos de idade, do sexo feminino e com ascendência europeia. O sexo masculino, quando afetado pela doença, costuma apresentar um quadro mais grave4

As causas da rosácea são ainda desconhecidas, no entanto o que se sabe é que parece existir uma predisposição genética para a mesma – levando ao rompimento dos vasos sanguíneos no local afetado pela doença, através de um processo inflamatório. Ainda há estudos que apontam para uma forte contributo dos microrganismos Demodex folliculorum e Bacillus oleronius (que estão normalmente presentes na pele), sendo estes responsáveis pela formação das lesões ligadas a rosácea5.

A rosácea afeta principalmente a área central da face e é caracterizada por pele sensível, seca e avermelhada – podendo ficar assim permanentemente em função da evolução da doença. As lesões mais comuns provocadas pela rosácea são as pápulas e as pústulas (que fazem lembrar a acne), podendo também ocorrer inchaços e nódulos no local afetado6.

Até ao momento parece não haver cura para a rosácea, sendo assim uma doença crónica, que afetará a pessoa para o resto da vida. Não obstante, existem alguns tratamentos que permitem melhorar a vermelhidão e as lesões na pele, sem no entanto promoverem uma cura.

Como diferenciar a acne e rosácea?

Embora diferentes, a acne e a rosácea apresentam lesões de pele semelhantes

À primeira vista não parece muito fácil diferenciar este doenças de pele, já que apresentam lesões na pele muito comuns, designadamente pápulas, pústulas e nódulos. No entanto, tanto a acne como a rosácea têm algumas características especificas:

  • A acne é uma doença que afeta as glândulas sebáceas, aumentando a produção de sebo através de um processo inflamatório. Isto torna a pele oleosa e gera as lesões doloridas da doença, sendo comum principalmente entre indivíduos abaixo dos 25 anos de idade.
  • Já a rosácea é caracterizada pelo rompimento de microvasos sanguíneos através de um processo inflamatório. Isto torna a pele avermelhada, seca e promove o aparecimento de lesões no local afetado pela doença. Referir ainda que a rosácea, afeta quase sempre pessoas acima dos 30 anos de idade.

Conclusão

Embora diferentes, a acne e a rosácea são doenças que apresentam algumas semelhanças, designadamente as lesões que provocam na pele. São também doenças de gravidade diferente. Enquanto a acne afeta uma grande parte da população, sobretudo durante a adolescência, na grande maioria dos casos acaba por passar com o tempo. Já a rosácea afeta consideravelmente menos pessoas, todavia é uma sem cura (doença crónica).

Neste sentido, não podemos deixar de recomendar que consulte o seu médico dermatologista. Este será a pessoa mais qualificada para fazer um diagnóstico, bem como providenciar o respetivo tratamento.

Bibliografia

  1. DURSUN, Recep et al. Acne and rosacea: What’s new for treatment? Wiley – Dermatologic Therapy. Julho, 2019.
  2. PLEWING, G.; KLIGMAN, A. M. Acne and rosacea. Springer-Verlag Berlin Heidelberg. Berlim, Germany, 2000.
  3. FIGUEIRED, Américo et al. Avaliação e tratamento do doente com acne – Parte I: Epidemiologia, etiopatogenia, clínica, classificação, impacto psicossocial, mitos e realidades, diagnóstico diferencial e estudos complementares. Revista Portuguesa de Clínica Geral. Portugal, 2011.
  4. ERDEMIR, Asli Turgut et al. Demodex mites in acne rosacea: reflectance confocal microscopic study. Australian Journal Of Dermatology. Março, 2016.
  5. BÖNI R. Rosacea, acne and other diseases of the seborrheic spectrum. Praxis. Berlim, 1994.
  6. PICARDO, Mauro et al. Acne and Rosacea. Dermatol Ther (Heidelb). Março, 2017.